http://eudirancarneiro.quinarionline.com

27/07/11

Primeira e Segunda Revolução Industrial

Alunos do Projovem Urbano do núcleo Santo Izidoro e 15 de Junho, leiam esses textos abaixo e façam um resumo com as principais caracteristicas de cada Revolução. Clique em comentários para fazer seu trabalho.
PRIMEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
A partir do século XVIII, a ciência ingressou em um constante processo de evolução, essa desencadeou uma série de novas tecnologias que transformaram de forma rápida a vida do homem, sobretudo, no modo de produzir mercadorias, que nesse caso serviu principalmente o setor industrial, acelerando o desenvolvimento do sistema capitalista.

Essa acelerada transformação no setor produtivo industrial é denominada historicamente como Revolução Industrial. Para obter uma abordagem mais sistemática podemos destacar três momentos desse processo: Primeira Revolução Industrial, Segunda Revolução Industrial e Terceira Revolução Industrial.

A Primeira Revolução Industrial ocorreu na Inglaterra, no final do século XVIII início do século XIX, logo mais outros países como França, Bélgica, Holanda, Rússia, Alemanha e Estados Unidos ingressaram nesse novo modelo de produção industrial.

Essa revolução ficou caracterizada por duas importantes invenções que propunham uma reviravolta no setor produtivo e de transportes, a ciência descobriu a utilidade do carvão como meio de fonte de energia e a partir daí desenvolveram simultaneamente a máquina a vapor e a locomotiva. Ambos foram determinantes para dinamizar o transporte de matéria-prima, pessoas e distribuição de mercadorias, dando um novo panorama aos meios de se locomover e produzir.

Um dos primeiros ramos industriais a usufruir a nova tecnologia da máquina a vapor foi a produção têxtil, que antes da revolução era desenvolvida de forma artesanal. 

A utilização de máquinas nas indústrias, que desempenhavam grande força e agilidade movida à energia do carvão, proporcionou uma produtividade extremamente dinâmica, com isso a indústria tornou-se uma alternativa de trabalho, nesse momento milhares de pessoas deixaram o campo em direção às cidades.

O acelerado êxodo rural provocou expressivo crescimento dos centros urbanos em grande parte das nações europeias que integravam a revolução. Algumas cidades da Europa aumentaram três vezes o número de sua população em meio século.

A partir desse crescimento populacional os centros urbanos ficaram saturados, modificando de maneira drástica a configuração da paisagem urbana, as cidades não absorveram o fluxo de pessoas de forma planejada, com isso surgiram bairros marginalizados compostos por trabalhadores pobres.

SEGUNDA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
No desenrolar da Revolução Industrial percebemos que a necessidade crescente por novas tecnologias se tornou uma demanda comum a qualquer nação ou dono de indústria que quisesse ampliar seus lucros. Com isso, o modelo industrial estipulado no século XVIII sofreu diversas mudanças e aprimoramentos que marcaram essa busca constante por novidades. Particularmente, podemos ver que, a partir de 1870, uma nova onda tecnológica sedimentou a chamada Segunda Revolução Industrial.

Nessa nova etapa, o emprego da energia elétrica, o uso do motor à explosão, os corantes sintéticos e a invenção do telégrafo estipularam a exploração de novos mercados e a aceleração do ritmo industrial. Dessa forma, percebemos que vários cientistas passaram a se debruçar na elaboração de teorias e máquinas capazes de reduzir os custos e o tempo de fabricação de produtos que pudessem ser consumidos em escalas cada vez maiores.

A eletricidade já era conhecida um pouco antes dessa época, mas tinha seu uso restrito ao desenvolvimento de pesquisas laboratoriais. Contudo, passou a ser utilizada como um tipo de energia que poderia ser transmitido em longas distâncias e geraria um custo bem menor se comparado ao vapor. No ano de 1879, a criação da lâmpada incandescente estabeleceu um importante marco nos sistemas de iluminação dos grandes centros urbanos e industriais da época. 

O petróleo, que antes tinha somente uso para o funcionamento de sistemas de iluminação, passou a ter uma nova utilidade com a invenção do motor à combustão. Com isso, ao lado da eletricidade, este mineral passou a estabelecer um ritmo de produção mais acelerado. Sob tal aspecto, não podemos deixar de destacar outras descobertas empreendias no campo da química que também contribuíram para essa nova etapa do capitalismo industrial.

Novas experiências permitiram o aproveitamento de minérios antes sem importância na obtenção de matéria-prima e outros maquinários. O aço e o alumínio foram largamente utilizados pela sua maior resistência e maleabilidade. Métodos mais simples de fabricação permitiram que o ácido sulfúrico e a soda cáustica fossem acessíveis. Por meio desses dois compostos a fabricação de borracha, papel e explosivos puderam ser feitas em larga escala.

Com relação aos transportes, podemos ver que as novas fontes de energia e a produção do aço permitiram a concepção de meios de locomoção mais ágeis e baratos. Durante o século XIX, a construção de estradas de ferro foi o ramo de transporte que mais cresceu. Nesse período, Estados Unidos e Europa possuíam juntos cerca de 200 mil quilômetros de trilhos construídos. Segundo outros dados, somente na década de 1860, mais de dois milhões de pessoas eram empregadas na manutenção desse único meio de transporte.

Por meio dessas inovações, as indústrias puderam alcançar lucros cada vez maiores e dinamizar o processo que se dava entre a obtenção da matéria-prima e a vendagem do produto ao consumidor final. Ao mesmo tempo, o controle mais específico sobre os gastos permitiram o cálculo preciso das margens de lucro a serem obtidas com um determinado artigo industrial. Dessa forma, o capitalismo rompia novas fronteiras e incidia diretamente na aceleração da economia mundial.


Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

10 comentários:

Anônimo disse...

A acelerada transformação no setor produtivo industrial é denominada historicamente como revolução Industrial.
A primeira revolução industrial ocorreu na Inglaterra, no final do século XVIII inicio do século XIX, logo mais outros países como frança,Bélgica, holanda, Rússia, Alemanha, e Estados Unidos ingressaram nesse novo modelo de produção industrial.

ALUNO= JOSÉ GALVÃO DA SILVA DE SOUZA

NÚCLEO= SANTO IZIDORO

SALA 2

Anônimo disse...

SEGUNDA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Por meio dessas inovações, as indústrias puderam alcançar lucros cada vez maiores e dinamizar o processo que se dava entre a obtenção da matéria-prima e a vendagem do produto ao consumidor final.
o petróleo, que antes tinha somente uso para o funcionamento de sistemas de iluminação, passou a ter uma nova utilidade com a invenção do motor á combustão.

ALUNO= JOSÉ GALVÃO
NÚCLEO= SANTO IZIDORO
TURMA= 2

CRISTINA disse...

PRIMEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
a primeira revolução industrial ocorreu na inglaterra no final do seculo XVIII, inicio do seculo XIX.
essa revolução ficou caracterizada por duas importantes invenções que propunha uma revirada no setor produtivo de transporte que foi a descoberta do carvão,nas maquinas a vapor.

Anônimo disse...

ESSE TEXTO SOBRE A HISTÓRIA DESSAS DUAS REVOLUÇÕES ME AJUDARAM MUITO COM UM TRABALHO ONDE EU TERIA QUE DIFERENCIAR AMBAS AS DUAS

Anônimo disse...

qual é o marco principal da 1º revolução industrial ?

Anônimo disse...

qual é o 1º marco principal da revolução industrial ??? e o 2º ????

Anônimo disse...

ME AJUDOU MTU NUM TRABALHO DE HISTORIA BJOOOOOO

Anônimo disse...

quanto texto q confuso

Anônimo disse...

tem muita informaçao que eu presisei

Anônimo disse...

obrigado me destruiu mt